Simpósio Brasil Sul discute prevenção e controle da Influenza Aviária

20/03/2006

O médico veterinário Alberto Back (Mestre e PhD), de Cascavel (PR) palestrará sobre o tema “Influenza Aviária: prevenção e controle”, durante VII Simpósio Brasil Sul de Avicultura, nos dias 4 a 6 de abril, em Chapecó, no Bristol Lang Palace Hotel, promovido pelo Núcleo Oeste de Médicos Veterinários. Este tema será abordado na quarta-feira, dia 5, a partir das 14 horas.

Nos últimos anos, o vírus da Influenza Aviária de alta patogenicidade (subtipos H5 ou H7), tem sido a grande preocupação sanitária mundial. O vírus tem se disseminado por vários países, principalmente asiáticos e europeus, causando mortalidade elevada nas aves comerciais e fatalidades esporádicas em humanos. Isto tem gerado grande preocupação no mundo todo, que podem ser melhor entendidas ou justificadas por fatores como Alta letalidade do vírus para as aves, restrições de comercialização, infecção em humanos e disseminação no mundo.

O grande esforço em relação a Influenza Aviária deve ser a prevenção. Há entendimento claro que na situação do Brasil, o investimento em prevenção proporciona um retorno tremendamente maior do que esperar um surto acontecer e investir no controle. “Pelo fato da atual disseminação em inúmeros países, a prevenção hoje exige maiores esforços do que nas décadas passadas. Mas mesmo assim podemos diminuir significativamente as chances da influenza aviária ingressar no país, ou retardá-la por muito tempo, se formos eficientes nas medidas básicas de prevenção”, defende Alberto Back.

A maior dificuldade, de acordo com Back, está em integrar os esforços da indústria com o governo que são fundamentais tanto na prevenção como no controle.

A prevenção da influenza aviária exige a monitoração das aves migratórias, contato de pessoas com aves doentes, contato com materiais e equipamentos contaminados, produtos e dejetos de aves, biológicos importados, importação de aves e ovos (comerciais ou ornamentais), controle de visitas, proteção dos aviários, regionalização e o Plano Nacional de Controle e Prevenção da Influenza Aviária.

Quanto a aves migratórias, o maior risco está nas rotas regulares da América do Norte para o Brasil e, eventualmente, nas migrações erráticas da Europa.

Há necessidade que, por parte do governo (federal e estadual), sejam estabelecidos grupos de apoio às emergências em todos os estados. Estes são fundamentais para um controle efetivo e imediato na eventualidade de um surto ocorrer. É importante também que entre a indústria e o governo haja simulações de campo no controle de surtos, programa parecido com que se faz com febre aftosa. O intercâmbio técnico com países onde ocorreram surtos pode nos ajudar em muito na prevenção e, se for necessário, no controle.

Regionalização
O processo de regionalização está em fase de implementação no Brasil, iniciando pelo Sul, Sudeste e Centro Oeste e finalmente Norte e Nordeste. Uma portaria do MAPA que dá a sustentação legal para este procedimento está em consulta pública. Há concordância geral que a regionalização trará vários benefícios para a avicultura. A limitação e a disciplina do fluxo de aves entre as diferentes regiões deverão beneficiar o controle de várias enfermidades que eram facilmente disseminadas pela movimentação das aves.

De acordo com o palestrante a prevenção e o controle da Influenza Aviária estão muito dependentes do conhecimento desta enfermidade e da implementação das medidas gerais de biosseguridade. Na situação de Brasil, devemos focar as nossas ações na prevenção para retardarmos ao máximo o seu ingresso. Também devemos nos habilitar no controle para atuarmos agilmente na eventualidade de ela um dia chegar. As ações preventivas e de controle têm que ser integradas entre governo e indústria e exigem investimentos. “Houveram avanços neste sentido, mas em muitas áreas ainda somos vulneráveis”, conclui Alberto Back.

Voltar
SAC AURORA - 0800 011 3500
Horário de atendimento
de segunda a sexta-feira das 08h às 18h
aos sábados das 08h às 15h.
VAGAS NA AURORA
TRABALHE CONOSCO.

SAIBA MAIS
Aurora

Copyright® Aurora - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por BRSIS